Embrapa Milho e Sorgo
Sistema de Produção, 1
ISSN 1679-012X Versão Eletrônica - 6 ª edição
Set./2010
Cultivo do Milho
Autores

Sumário

Apresentação
Economia da produção
Zoneamento agrícola
Clima e solo
Ecofisiologia
Manejo de solos
Fertilidade de solos
Cultivares
Plantio
Irrigação
Plantas daninhas
Doenças
Pragas
Colheita e pós-colheita
Mercado e comercialização
Coeficientes técnicos
Referências
Glossário

Autores
Expediente

Apresentação


A Embrapa Milho e Sorgo reuniu neste documento os resultados de pesquisa realizada no país, como subsídio para o aumento da produção de milho, principalmente por meio do aumento da produtividade.
A produção de milho no Brasil tem-se caracterizado pela divisão em duas épocas de plantio. Os plantios de verão, ou primeira safra, são realizados na época tradicional, durante o período chuvoso, que varia entre fins de agosto, na região Sul, até os meses de outubro/novembro, no Sudeste e Centro-Oeste (no Nordeste, esse período ocorre no início do ano). Mais recentemente, tem aumentado a produção obtida na safrinha, ou segunda safra. A safrinha refere-se ao milho de sequeiro, plantado extemporaneamente, em fevereiro ou março, quase sempre depois da soja precoce, predominantemente na região Centro-Oeste e nos estados do Paraná, São Paulo e Minas Gerais. Verifica-se nas últimas safras, um decréscimo na área plantada no período da primeira safra, mas que tem sido compensado pelo aumento dos plantios na safrinha e no aumento do rendimento agrícola das lavouras de milho. Embora realizados em uma condição desfavorável de clima, os sistemas de produção da safrinha tem sido aprimorados e adaptados a essas condições, o que tem contribuído para elevar os rendimentos das lavouras também nessa época.
A safra 2009/10, consolidou a utilização de cultivares de milho transgênico (no caso do Milho Bt) no Brasil. Cerca de 35% das sementes adquiridas de milho na safra de verão foram de cultivares com eventos transgênicos e, na safrinha (2010), este percentual atingiu cerca de 42%. Em alguns dos principais estados produtores, as cultivares transgênicas ultrapassaram as convencionais já neste segundo ano de liberação daqueles materiais. Podem ser citados os estados de São Paulo e Bahia na safra de verão e São Paulo e Paraná, na safrinha.

De acordo com o último levantamento sobre a safra de grãos (CONAB, agosto. 2010) a produção nacional de milho se mostra bastante tecnificada, fazendo com que a produtividade apresente aumentos crescentes nos últimos anos. Na maioria das regiões produtoras, a safra de 2009/10 foi conduzida sob condições climáticas favoráveis. Em relação ao milho safrinha, o desenvolvimento da lavoura correu dentro da normalidade ocorrendo  períodos de estiagem, que embora pontuais, causaram pequenos danos à cultura, principalmente naquelas áreas semeadas mais tarde e que se encontravam no período de floração e granação.
A área cultivada com milho na Safra 2009/10, foi de 7.748,7 mil hectares, com redução de (16,5 %) em relação à área cultivada na Safra 2008/09 que foi de 9270,5 mil hectares. Na safrinha, a área estimada foi de 5.187,4 hectares, 5,8% maior  que a área cultivada na  safra 2008/09.A área total cultivada, em todo o país, nas duas safras, ficou em 12.930,1 mil hectares, (8,8%) inferior à área cultivada na safra anterior.
A redução da área cultivada na primeira safra, a nível nacional, foi de 1.527,8 hectares. A diminuição está relacionada com o volume de produto no mercado, com os preços praticados abaixo do esperado pelos produtores e com a escassez de chuvas na região Nordeste, na  época da semeadura. Já a produção ficou muito próxima da obtida na safra anterior, devido a recuperação da produtividade do Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul, que na safra passada apresentaram redução devido a estiagem ocorrida nestes estados . A redução prevista de área com milho na safrinha, não se verificou, ao contrário, ocorreu um incremento na área efetivamente plantada. A recuperação se deu no Mato Grosso, que aumentou sua área de plantio de milho em 23,9%. Goiás com aumento de 22,9% e Distrito Federal, que aumentou sua área de milho safrinha em 56,3%, todos comparados com o mesmo tipo de safra cultivada em 2008/09. A produção brasileira de milho (Safra e Safrinha), aumentou em cerca de  três milhões de toneladas (6,6%).
A produtividade média para a Primeira Safra de 2009/10, ficou em 4.417 kgha-1, 21,7% maior que a alcançada na safra 2008/09. O aumento se deve à maior produtividade prevista para estados do Centro-Sul, principalmente Paraná e Rio Grande do Sul, que tiveram frustração na safra anterior, por conta das condições climáticas adversas, principalmente pela má distribuição das chuvas e ocorrência de períodos de estiagem na fase crítica do desenvolvimento da cultura. A produtividade do milho segunda safra (safrinha), teve um aumento de 9,9% com previsão de alcançar mais do que 3.800 kgha-1.

A produção da primeira safra de milho em 2009/10 foi 34.196,8 mil toneladas,  maior do que o foi colhido na safra 2008/09 (1,6 %). Para a safrinha, a previsão é de que sejam colhidas  20.180 mil toneladas, com um crescimento de 16,3% em relação á safra anterior. A safra nacional total de milho deve alcançar a produção de 54.376,7 mil toneladas, representando um crescimento de 6,6% em relação á safra anterior.

Maiores informações sobre estatísticas e conjuntura econômica relacionada a cultura do milho ao longo do ano pode ser encontrada na página do Centro de Inteligência do milho - CIMilho .

 Este trabalho discute os principais aspectos técnicos da produção de milho, considerado os resultados mais recentes de pesquisa e oferecendo alternativas para situações particulares, como, por exemplo, em sistema de produtores, técnicos de assistência técnica extensão rural e de planejamento informações necessárias à sua tomada de decisão, para situações específicas de cada sistema de produção, visando ao aumento de sua produtividade e rentabilidade.


Embrapa. Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610.
Topo da Página