Embrapa Milho e Sorgo
Sistemas de Produção, 2
ISSN 1679-012X Versão Eletrônica - 3 ª edição
Set./2007
Cultivo do Sorgo
Nicécio F. J. A. Pinto

Sumário

Apresentação
Importância econômica
Clima
Ecofisiologia

Solos
Nutrição e Adubação
Cultivares
Plantio
Plantas daninhas
Doenças
Pragas
Colheita e pós-colheita
Mercado e comercialização
Coeficientes técnicos
Referências
Glossário

Expediente

Doenças

Doenças causadas por nematóides

Introdução

Em levantamentos realizados em 7 áreas experimentais cultivadas com sorgo, na Embrapa Milho e Sorgo, mostraram que os nematóides dos gêneros Criconemoides , Pratylenchus e Meloidogyne foram os predominantes nesta cultura. Não obstante, foram encontrados também nematóides dos gêneros Helicotylenchus , Tylenchulus , Trichodorus , Xiphinema e Dorylaimus .

Morfologia dos nematóides

Os nematóides parasitas de plantas de sorgo são animais muito pequenos, 0,4 - 4 mm de comprimento e 0,01 - 0,05 mm de diâmetro, são multicelulares e habitantes naturais do solo. Em geral, eles possuem o corpo em forma de agulha, são transparentes, com corpo não segmentado, possuindo sistemas sensorial, digestivo, excretor e reprodutivo. Todos os nematódes parasitas de sorgo possuem um estilete - uma estrutura robusta semelhante a agulha e que se localizada na porção anterior deste verme. O estilete está conectado com o esôfago e é utilizado para perfurar a parede celular dos tecidos da raiz, e então sugar os nutrientes da planta, necessários para a sobrevivência e desenvolvimento biológico do nematóide.

Biologia dos nematóides

Os nematóides são classificados com base no seu hábito alimentar. Os nematóides ectoparasitas, geralmete alimentam em células próximas da superfície e podem inserir parte de sua porção anterior dentro dos tecidos vegetais onde eles se alimentam. Os nematóides endoparasitas entram nas plantas, passam através do processo de maturação, põem ovos, e se alimentam nos tecidos da planta. Os ectoparasitas são geralmente muito maiores que os endoparasitas e possuem um estilete mais longo. Ambos podem ser classificados como sedentários e migratórios. Os nematóides sedentários normalmente penetram as raízes, porém alguns espécimes podem ficar com apenas a parte anterior do corpo imersa nos tecidos da planta e onde permanecem imóveis; enquanto os nematóides migradores movem dentro das raízes e podem retornar ao solo.

Principais nematóides parasitas do sorgo

1- Nematóide do enfezamento

Os nematóides do gênero Tylenchorhynchus são comumente detectados em amostras de solo coletadas na cultura de sorgo, e podem aumentar os níveis de danos em áreas com monocultivo. O sistema radicular das plantas infestadas tem fraco desenvolvimento e algumas das extremidades das raízes podem ser curtas e grossas (Figura 2). Em parcelas infestadas por T. martini , o tratamento com nematicida aumentou a produção de sorgo em 55%.

2- Nematóide formadores de galhas

Diversas espécies de Meloidogyne , incluindo M. incognita são citadas como paraistas de sorgo. M. incognita causa danos severos em sorgo quando em sequência rotacional com algodão. O sintoma típico de infestação de M. incognita inclue aréas irregulares contendo plantas cloróticas e enfezadas, proliferação de raízes, retardamento no florescimento e redução na produção. O tecido radicular parasitado pode exibir galhas abundantes (Figura 3) ou as galhas podem ser discretas.

3- Nematóides lesionadores de raízes ( Pratylenchus spp.)

O nematóide Pratylenchus zeae tem sido encontrado parasitando plantas de sorgo. Este nematóide é endoparasita migrador, coloniza o córtex da raiz e causa lesões necróticas. Plantas severamente infectadas têm o sistema radicular debilitado e são cloróticas e enfezadas.

Sintomas nas plantas de sorgo

Os danos causados por nematóides em plantas de sorgo podem ser semelhantes aos sintomas provocados por estresse hídrico e por deficiências nutricionais. O sintoma típico de danos por nematóides é a formação de áreas de tamanho variado onde as plantas têm uma aparência irregular. Plantas pesadamente infectadas são menores do que as plantas normais, são usualmente cloróticas e têm uma tendência ao murchamento devido terem o sistema radicular reduzido e danificado.

Como resultado da infestação por nematóides as raízes de sorgo podem apresentar, entre outros, os seguintes sintomas:

  1. Raízes com galhas ( Meloidogyne spp.) - Ocorre uma pronunciado aumento no número e no tamanho das células dos tecidos radiculares parasitados pelo nematóide, o que leva a formação de tumores ou galhas radiculares;
  2. Lesões radiculares ( Pratylenchus spp.) - Há o desenvolvimento de lesões radiculares quando os nematóides endoparasitas migradores entram e movem dentro dos tecidos das raízes. As lesões necróticas nas raízes são quase sempre atribuídas aos fungos, os quais penetram nas raízes através dos ferimentos causadas pelos nematóides;
  3. Desenvolvimento anormal da raiz - Os nematóides ectoparasitas ao alimentarem nos tecidos das raízes podem causar sintomas de encurtamento e engrossamento da raiz ( Trichodorus spp.).

Controle dos nematóides

O controle dos nematóide parasitas de sorgo pode envolver várias estratégias:

  1. Práticas culturais - Os nematóides podem ser reduzidos à níveis toleráveis pelas plantas de sorgo, empregando-se práticas culturais como pousio, rotação de cultura e época de plantio; A aração e a gradagem, por propiciarem a exposição do solo aos raios solares, podem ser efetivas na redução de várias espécies de nematóides;
  2. Uso de cultivares resistentes - O controle mais efetivo e econômico de nematóides em sorgo é o uso de cultivares resistentes. Diversas cultivares de sorgo podem apresentar tolerância ao nematóide formador de galhas ( Meloidogyne spp.);
  3. Controle químico - Produtos com ação nematicida, como os dos grupos químicos dos carbamatos e organofosforados, podem ser eficazes no controle de nematóides em áreas pesadamente infestadas.
Embrapa. Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610.
Topo da Página