Untitled Document
 
Embrapa Milho e Sorgo
Acesse aqui outras unidades da Embrapa Acesse aqui outras unidades da Embrapa


Acesse também
Agência de Informação Embrapa
Árvore do conhecimento do Milho
Catálogo de Produtos e Serviços
Ao alcance de todos
CImilho
Centro de inteligência do milho
Agritempo
Agritempo
Sistema de Monitoramento Agrometeorológico
Câmara Setorial
Câmara Setorial
da Cadeia Produtiva de Milho e Sorgo, Aves e Suínos
ABMS
Associação Brasileira de Milho e Sorgo





Em uma agricultura moderna, desde aquela de grande escala, que utiliza altas tecnologias, até a de pequena escala, como a que utiliza mão de obra familiar,  a irrigação pode ser uma tecnologia imprescindível para incrementar a produtividade das culturas. Deve, contudo, ser implementada com todos os cuidados requeridos para causar o menor impacto possível ao ambiente e buscar ser sustentável por um longo período de tempo.

Necessidade de irrigação

O primeiro passo, porém, ao adquirir qualquer equipamento, ou construir alguma estrutura para irrigação, é a verificação se há necessidade de irrigar a cultura naquele local e ainda se é possível irrigar, ou seja, deve ser verificada a viabilidade de irrigação. Em geral, o interesse pela irrigação costuma aumentar quando ocorre estiagem, com quebra ou perda da produção. Por outro lado, muitos agricultores, motivados pelo modismo ou impulsionados pela pressão comercial e facilidade de crédito adquirem sistemas de irrigação sem mesmo verificar se a cultura a ser irrigada necessita ou responde a essa tecnologia ou se a fonte de água de que dispõem é suficiente para atender à necessidade hídrica da cultura em questão.

Sistemas de irrigação

O interesse pela irrigação, no Brasil, emerge nas mais variadas condições de clima, solo, cultura e em difersas situações socioeconômicas. Não existe um sistema de irrigação ideal, capaz de atender satisfatoriamente a todas essas condições e interesses envolvidos. Em consequência, deve-se selecionar o sistema de irrigação mais adequado para determinada condição e tambťm para atender os objetivos desejados. Com a expansão rápida da agricultura irrigada no Brasil, muitos problemas têm surgido em decorrência do desconhecimento das diversas alternativas de sistemas de irrigação, conduzindo a uma seleção inadequada do melhor ou dos melhores métodos de irrigação para uma determinada condição.

Racionalidade no uso da água

A racionalidade no uso da água de irrigação passa, entre outros fatores, pela eficiência de distribuição da lâmina aplicada e pela programação bem planejada. A programação ou o manejo da irrigação nada mais é do que aplicar a água na quantidade e no momento requeridos pela cultura.

O manejo da irrigação

Infelizmente, a consciência sobre o manejo da irrigação ainda não está satisfatoriamente introduzida entre os agricultores irrigantes brasileiros. Afora o manejo da irrigação em si ainda se observa muito desperdício de água, má uniformidade de distribuição desse recurso natural e mau funcionamento hidráulico dos vários sistemas de irrigação implantados. Apesar de todos os benefícios e do alto investimento realizado pelos agricultores, a maioria deles não dá a devida importância ao manejo da irrigação. Entre as inúmeras causas, algumas principais podem ser citadas: carência de dados edafoclimáticos, falta de consultoria especializada, desvio de prioridades, desconhecimento da metodologia de manejo, custos do bombeamento não tão elevados, inexistência do pagamento pela água etc. Tudo isso leva a uma baixa eficiência global da irrigação, com o comprometimento da sustentabilidade da agricultura irrigada. 

O programa IrrigaFácil

Aqui se apresenta uma ferramenta computacional denominada IrrigaFácil para se fazer o manejo de irrigação. Essa ferramenta foi desenvolvida com o objetivo de facilitar o trabalho de técnicos e agricultores irrigantes, promovendo o uso racional da água na irrigação. Com essa versão desse software é possível programar a irrigação da cultura por meio de quatro critérios, utilizando-se a técnica do balanço de água no solo, a saber:
1. Calendário das irrigações usando valores de evaporação de referência ETo ajustados e preditos;
2. Balanço diário das irrigações usando valores de ETo ajustados e preditos;
3. Balanço diário das irrigações usando valores de ETo estimados por qualquer método e;
4. Balanço diário das irrigações usando valores de evaporação da água do Tanque Classe A.
Nas duas primeiras estratégias é necessário obter séries históricas de dados climáticos para estimar os valores diários de ETo por qualquer método, ajustar e fazer a predição dos valores de ETo futuros.

Untitled Document
Todos os direitos reservados, conforme Lei nº 9.610
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa
Política de Privacidade
Embrapa Milho e Sorgo
Rod. MG 424 KM 65 - Sete Lagoas
Telefone (31) 3027-1100 - Fax (31) 3027-1188
Caixa Postal 285 ou 151 - CEP 35701-970 Sete Lagoas - MG - Brasil
Fale conosco: (31) 3027 - 1267